Um seminarista exemplar
10/15/2014
A chegada de Luís Comollo ao seminário
10/21/2014

Minha vocação ‘novos pátios’

Olá! …

Voltamos com a secção de testemunhos e textos vocacionais sobre o Salesiano Irmão.

 Muitas partilhas foram feitas desde da Patagônia no sul da Argentina, até a América do norte, no México. Em cada lugar, Dom Bosco se faz presente na figura de um salesiano. Contamos desta vez com o testemunho do salesiano irmão Cledson.

Vamos conhecê-lo?

“Venho de uma família de católicos praticantes, criado numa cidade do interior do Espírito Santo, onde a figura do padre estava muito presente na comunidade. Meus pais me levavam à igreja com muita frequência. Quando eu tinha sete anos um tio, da parte do meu pai, foi para o seminário salesiano para ser padre. Nas férias, quando íamos a casa de minha avó, ele contava as histórias do seminário. Eu gostava quando ele dizia que lá era preciso estudar e trabalhar bastante e que também tinha muito esporte, e… eu adorava esportes. Desde esta época eu dizia que queria ser padre. Aos 11 anos fui para o seminário, mas, com saudade de meus pais e de meus irmãos, acabei retornando para casa. Como estudava num colégio e numa paróquia salesianos tinha muito contato com os padres e irmãos salesianos, e, assim de certa forma, eu nunca me desligara completamente do seminário. Minha vocação ainda foi alimentada por eu morar numa cidade profundamente católica e de descendentes de italianos.

Em 17 de fevereiro de 1997 retornei ao seminário para fazer o aspirantado, fazendo a seguir o pré-noviciado, noviciado e pós-noviciado e indo, posteriormente, para a assistência de dois anos em uma obra salesiana. Trabalhei na TV Educativa da Fundação Dom Bosco de Comunicação, em Ponte Nova, Minas Gerais. Formado em Filosofia “caí de paraquedas” na coordenação de uma televisão regional. Diante deste desafio aprofundei meus conhecimentos na produção de vídeos e programações de televisão, fazendo especializações em diversas áreas da comunicação midiática.

Os dois anos à frente desta TV Educativa me ajudaram a descobrir minha vocação pela comunicação. Terminados os dois anos de assistência, retornei para Belo Horizonte para fazer a Teologia, pois meu foco era ser padre. Durante o curso percebi que não era o que eu procurava. Tranquei o curso no terceiro ano e me dediquei ao mestrado em Comunicação. Com isto ficou clara minha opção: trabalhar na congregação salesiana como leigo consagrado.

Há dez anos tenho me dedicado à Comunicação, de um modo especial às redes de TVs educativas das fundações Dom Bosco de Comunicação e outras televisões de outras congregações e dioceses pelo Brasil. Desenvolvo o papel de articulador e consultor diante de órgãos municipais, estaduais e federais, com negociações de processos junto ao Ministério das Comunicações, em Brasília. Trabalhei por três anos como coordenador nacional de Comunicação dos Salesianos do Brasil, em Brasília, e, atualmente, atuo como diretor de Comunicação da Inspetoria São João Bosco, em Belo Horizonte sendo responsável por mais de quarenta unidades, entre escolas, obras sociais, paróquias e faculdade. Além destas atividades, atualmente, sou membro do Conselho Fiscal da União Brasiliense de Educação e Cultura (UBEC).

Como salesiano irmão, procuro vivenciar a espiritualidade de Dom Bosco nos dias atuais. Sou realizado dentro em nossa congregação, atendendo as suas orientações e realizando projetos que objetivem uma comunicação de qualidade.

Ao ingressar na congregação salesiana, tinha consciência de que meu trabalho, qualquer que fosse, seria sempre voltado para os jovens. Assim como para Dom Bosco, os jovens sempre foram a motivação de minha vocação.

Atualmente, os trabalhos que desenvolvo na área de comunicação e educação estão direta e indiretamente ligados à juventude, quando, por exemplo, penso na concepção de um site ou de algum outro meio de comunicação, são sempre projetados a partir da visão do jovem.

Salesiano irmão Cledson Marta Rodrigues, DF – Brasília, Inspetoria São João Bosco