Paróquias e Igrejas Salesianas
04/04/2013
Faculdade Salesiana Dom Bosco
04/11/2013

Identidade das IUS


Elementos de identidade das IUS

A Congregação Salesiana, consciente e respeitosa antes de tudo da natureza específica da universidade e das suas exigências, faz-se presente nela também para acompanhar os jovens no momento mais decisivo de seu processo de amadurecimento, oferecendo-lhes a contribuição do seu patrimônio educativo e carismático. As IUS, por isso, se caracterizam pela sua opção em favor dos jovens das classes populares, pelas comunidades acadêmicas com clara identidade salesiana, pelo projeto cultural, cristã e salesianamente orientado, e pela intencionalidade educativo-pastoral.

Opção pelos jovens das classes populares 

As IUS realizam uma opção preferencial pelos jovens das classes populares, superando qualquer postura elitista, não apenas em relação aos destinatários mas também na orientação da pesquisa e no desenvolvimento dos diversos serviços universitários. Isso implica algumas escolhas:

a) favorecer o acesso à universidade aos jovens que provenham dos ambientes populares e do mundo do trabalho;

b) orientar também a pesquisa, a docência, o estudo e os serviços culturais, a fim de melhor conhecer a condição juvenil, sobretudo dos setores menos favorecidos, e proporcionar-lhes uma transformação positiva;

c) formar pessoas comprometidas com a causa da justiça, a fim de construir uma sociedade mais justa e humana;

d) promover na sociedade propostas formativas que incidam nos processos educativos e nas estratégias e políticas juvenis.

Comunidade acadêmica comprometida com o projeto institucional

Uma instituição salesiana de educação superior se configura como a comunidade de todos aqueles que segundo a própria responsabilidade acadêmica e profissional, em sintonia com os valores cristãos e salesianos do projeto institucional(cf. também nn. 22-23, 26-28, 33c), se empenham na busca da verdade e na missão formadora de modo co-responsável e aberto às diversas realidades culturais e sociais.

A comunidade acadêmica de cada IUS, que garante um estilo intelectual rigoroso e crítico, inspira-se na metodologia da interdisciplinaridade tanto na pesquisa quanto na docência, do trabalho cooperativo e da co-responsabilidade em nível acadêmico, organizacional e diretivo; dispõe, além disso, de uma autonomia institucional própria, acadêmica e de governo, no respeito à missão confiada pela Congregação Salesiana, aos vínculos estatutários e aos direitos das pessoas. Isso requer:

a) professoresque integrem competência profissional para a pesquisa, para a docência e para a educação, sensibilidade pelo mundo juvenil e capacidade de acolhida e presença entre os jovens, compromisso com a solidariedade e a justiça, coerência entre a vida e valores evangélicos;

b) estudantes que participam, como protagonistas e co-responsáveis, do empenho científico e cultural, educativo e social da instituição universitária;

c) um núcleo de pessoas– isto é, a comunidade salesiana local ou salesianos em estreito relacionamento com a Inspetoria (cf. CG25 80), e leigos – que, identificado com a missão e o espírito salesiano, no exercício da própria responsabilidade, esteja apto a conduzir a elaboração e respectiva execução prática do projeto institucional que deve inspirar e acompanhar os processos de pesquisa, de ensino, de projeção social e de gestão da vida universitária;

d) um ambienteem que a pessoa humana esteja no centro, no qual se faça do diálogo e da colaboração a base do método, no qual a presença do mestre-guia desperte nos jovens o amor pela verdade, pela vida e pelos outros.

Projeto institucional cristã e salesianamente orientado

Também as IUS, como as demais universidades, realizam a pesquisa, organizam o ensino e difundem a cultura visando o saber, o saber fazer, o saber ser e o saber comunicar e partilhar. Isso o exprimem num próprio projeto institucionaluniversitário (cf. também os nn. 26-28 e 33c).  A fim de que tal projeto seja cristã e salesianamente inspirado e realizado, as IUS devem promover:

a) uma concepção da pessoa humana inspirada no Evangelho, que a põe no centro da vida e que a promove na sua integralidade;

b) uma consciência ética fundada nos valores, dando atenção especial à promoção da justiça e de uma cultura da solidariedade, mediante um modelo de desenvolvimento sustentável em escala humana, de relações de igualdade e reciprocidade, de qualidade da vida;

c) um diálogo entre culturas e religiões diversas, entre cultura-ciência-técnica-profissão e fé, capaz de iluminar cristãmente a realidade e a vida ou de inculturar o Evangelho;

d) uma atenção especial ao âmbito da educação, à formação dos educadores ao campo da técnica e do trabalho, e ao mundo da comunicação.

Tudo isto requer da comunidade acadêmica um esforço de constante formação – científica, pedagógica, ética e cristã –, uma reflexão sistemática a respeito da orientação cultural do seu projeto institucional, e um diálogo interdisciplinar intenso a respeito dos principais desafios da sociedade, à luz dos valores evangélicos e do carisma salesiano.

Intencionalidade educativo-pastoral

O projeto cultural de cada IUS é movido por uma clara finalidade educativo-pastoral, segundo as características da pedagogia e da espiritualidade salesiana. Tal finalidade se manifesta mediante:

a) a criação de um ambiente rico de valores humanos, incluída a familiaridade;

b) a orientação científica e rigorosa da pesquisa, dos itinerários curriculares e dos conteúdos do ensino, cônsonos ou abertos a uma visão transcendente da pessoa humana e da vida;

c) um diálogo interdisciplinar entre as diversas disciplinas acadêmicas, incluídas as de caráter ético, religioso e teológico;

d) a oferta de disciplinas curriculares específicas de caráter ético e religioso, em paridade de nível científico e pedagógico e de valor acadêmico com as outras disciplinas do itinerário curricular;

e) uma diversidade de serviços de atenção humana aos estudantes, compreendidas as de propostas explicitamente cristãs (de evangelização, de formação cristã, de caráter litúrgico e sacramental), de compreensão e diálogo ecumênico e inter-religioso, de empenho no serviço aos outros.