Semana de Pedagogia aborda escolas de tempo e ensino integral
11/11/2015
Escola São José promove Dia da Turma na Casa do Chocolate
11/16/2015

13 de Novembro – Dia do Beato Artêmides Zatti

No dia 18 de maio de 1986 foi dirigida ao Pe. Cayetano Bruno, SDB,  uma carta que tinha por remetente o Pe. Jorge Mario Bergoglio, SJ. Conta a carta a experiência que o atual Papa Francisco fez com o Beato Salesiano Irmão Sr. Artêmides Zatti e relata como, por sua intercessão, a província argentina da Companhia de Jesus tenha visto um renascer em suas vocações para Irmão Coadjutor.

“Apresento uma referência do ano 1976, em que eu conheci a vida de Sr. Zatti. Nesse ano, o irmão coadjutor mais novo tinha 35 anos, era enfermeiro e morreria quatro anos depois, vítima de um tumor no cérebro. O que lhe seguia em idade tinha 46 anos e mais um com 50. A partir daí, eram todos idosos (muitos deles continuavam a trabalhar muitíssimo, mesmo com 80 anos e mais). Esse “quadro demográfico” dos irmãos coadjutores na Província da Argentina levava muitos a pensar na possibilidade de que se tratava de uma situação irreversível e que não haveria mais vocações. Alguns até se questionavam sobre a “atualidade” da vocação de irmão coadjutor na Companhia, devido a que – perante os fatos – parecia que se extinguiria” – escreve o Padre Jorge Mario Bergoglio no início da sua carta.

A Companhia de Jesus, como os Salesianos, vê na figura do irmão coadjutor a especificidade de uma única vocação, a respeito da qual o hodierno Pontífice, então, comentava na carta: “Por outro lado, o padre geral, Pedro Arrupe, SJ, insistia muito na necessidade da vocação do irmão coadjutor para o corpo completo da Companhia. Dizia mesmo que a Companhia, sem irmãos coadjutores, não seria a Companhia”.

A carta prossegue referindo como numa visita a seus irmãos jesuítas no norte da Argentina, Arquidiocese de Salta, Dom Pérez, SDB, contasse ao Pe. Jorge Mario a respeito da vida do Sr. Zatti e o convidasse a ler mais sobre a sua figura. Surgiu-lhe assim o desejo de pedir a Deus a intercessão do então Beato Zatti (à época Bem-aventurado) para que surgissem novas vocações de Irmão Coadjutor.

A carta conclui exatamente reafirmando a sua convicção na eficaz intercessão Sr. Zatti em favor do renascimento das vocações para irmãos coadjutores.

O texto completo da Carta está disponível na seção ‘Service’, de ANS.

ANS – Roma