Obra Social São João Bosco de Campinas comemora 105 anos
06/30/2014
Casa da Moeda lançará medalhas comemorativas pela canonização de João Paulo II e João XXIII
07/01/2014

Apresentado o tema da Estreia 2015: ‘Como Dom Bosco, com os jovens, para os jovens’

Dizer Dom Bosco é dizer jovens. É quase impensável evocar a história do Santo sem a presença dos jovens. Disse dele o Pe. Rua, seu I Sucessor: “Não deu passo, não pronunciou palavra, nada empreeendeu que não visasse a salvação da juventude…”. Foi a partir dessa raiz que o Pe. Ángel Fernández Artime, X Sucessor de Dom Bosco, anunciou o tema da sua primeira Estreia, do Ano Bicentenário de Nascimento do Fundador, que vai direto ao coração da missão: “Como Dom Bosco, com os jovens, para os jovens”.

A Estreia é mais uma vez oferecida pelo Reitor-Mor como Sucessor de Dom Bosco e, portanto, como pai de toda a Família Salesiana (FS), que, embora na distinção e diversidade dos grupos, encontra um ulterior estímulo para unir-se e viver com uma comum finalidade: a da partilha da missão salesiana a serviço dos jovens, especialmente dos mais pobres.

A comunhão da Família Salesiana não é fim a si mesma nem se pode rematar no interior de si mesma; deve ser um dom na Igreja: o carisma salesiano é um dom para toda a Igreja, como todos os carismas doados pelo Espírito Santo para a missão evangelizadora, tal como também o evoca o Papa Francisco em sua ‘Evangelii Gaudium’.

O Pe. Fernández Artime não deixa de fazer memória da fonte do dinamismo apostólico que sustentava Dom Bosco e que deve amparar todo membro da FS: a caridade pastoral que tem no Coração de Jesus o modelo fundamental. A esse ícone faz referência a ação educativa salesiana, chamada como é a deixar-se envolver pela trama de Deus.

O Reitor-Mor insiste em dar atenção e privilegiar os jovens, especialmente os mais pobres. E convida a fazer próprio, com específico empenho, o chamado do Papa Francisco a desvelar-se pela ‘periferia’: “a periferia é constitutiva do nosso DNA salesiano”.

Valdocco e Mornese, na sua especificidade, foram ‘periferia’ e hoje dizer ‘periferia’ significa individuar “a estrela polar na navegação”: enquanto os últimos e os mais pobres – insiste o Pe. Fernández Artime – são “o específico do nosso DNA como carisma salesiano”.

Neste horizonte, tendo em comum o carisma educativo de Dom Bosco, os membros da FS são testemunhas do amor de Deus: e querem ser um presente para os jovens; mas devem estar outrossim convencidos de que – como afirmou o Pe. Juan E. Vecchi – os jovens pobres são por sua vez um dom que estimula a prosseguir e a superar os riscos da mediocridade, a ir além das próprias seguranças, a fim de permanecer abertos ao Espírito Santo.

Sobre todas estas boas intenções e para que os propósitos se tornem realidade – conclui o Reitor-Mor anunciando a Estreia para o 2015 – não pode faltar a Graça e a bênção de Deus, com a intercessão materna de Maria, “a mais insigne colaboradora do Espírito Santo”.

O texto completo da apresentação da Estreia 2015 se encontra disponível na seção Service, de ANS, e em sdb.org.

ANS – Roma