Laura Meozzi
05/22/2013
Margarida Occhiena
05/22/2013

Venerável Luís Olivares

Início do Processo: 25 – 04 – 1963
Venerável: 20 – 10 –  2004

Nasceu em Corbetta, na província italiana de Milão, a 18 de outubro de 1873; era o quarto de quinze filhos (um seu irmão será missionário e uma irmã, religiosa canossiana). Estudou e foi ordenado sacerdote em Milão.

Queria ser salesiano, mas o seu bispo, o card. Ferrari, o mandou ainda jovem padre com 22 anos, como vice-diretor do colégio arquiepiscopal de Saronno.

Depois de 8 anos, conseguiu entrar para os Salesianos. Diplomado em teologia, ensina teologia moral e sociologia no estudantado de Foglizzo (1906-1910).

Em seguida é feito pároco da recém criada paróquia de S. Maria Libertadora no bairro do Testaccio em Roma. O bairro, com péssima fama, vai se transformando visivelmente, graças à bondade do pároco. Certo dia. Um homem violento lhe deu uma bofetada; padre Luís lhe diz: “Obrigado!” e lhe apresenta a outra face. “O seu confessionário – diz uma testemunha – é procurado da manhã até à noite; nas festas, o trabalho de confessor marca seus dia, começando com a celebração da santa missa e depois a pregação, que repetia de 6 a 7 vezes ao dia”.

Em 1916, o papa Bento XV o escolhe como bispo de Sutri e Nepi. Marca par si mesmo um regulamento com cinco pontos:
“Amarei a minha diocese como uma esposa. Na oração conversarei com Jesus sobre os interesses das almas, não tomarei nenhuma decisão sem O ter antes consultado. Evitarei o luxo e o supérfluo. Terei um horário e o observarei fielmente. Lema da minha vida episcopal: a caridade até o sacrifício”. Assim viveu por 26 anos, em espírito salesiano: “Sou, por dom de Deus, cristão, sacerdote, salesiano e bispo: preciso ser santo”.

Faleceu longe de sua diocese a 9 de maio de 1943, enquanto pregava Exercícios Espirituais aos jovens do Liceu Salesiano de Pordenone (nordeste da Itália). Tinha setenta anos. Agora descansa em Nepi na catedral.

Proclamado Venerável no consistório público de 20 de dezembro de 2004.

sdb.org