Café Filosófico discute sobre o clima no planeta
09/30/2015
Festa da Primavera na Obra Social São João Bosco
09/30/2015

Piloto Átila Abreu palestra para estudantes do UNISAL

O UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Unidade Americana, recebeu em 22 de setembro, no Campus Maria Auxiliadora, o piloto da Stock Car, Átila Abreu, para falar sobre o tema “Lições de uma vida”.

Na abertura, o Diretor de Operações, Homero Tadeu Colinas, parabenizou os estudantes e professores pelo Dia do Contador. O Coordenador do Curso de Ciências Contábeis, Geraldo Biaggi, também parabenizou estudantes e corpo docente. “Para o UNISAL é motivo de orgulho contribuir para o processo de formação dos profissionais nesta que é considerada uma das maiores categorias no Brasil”, lembrou Geraldo.

Os professores Alexandre Godoi, Geraldo Biaggi e José Antônio Padoveze escreveram um artigo em homenagem à data, que foi lido por quatro alunos convidados. Na sequência, Átila falou sobre as experiências vividas em sua carreira como piloto, das dificuldades em conseguir patrocínio todos os anos e das vitórias alcançadas: “Nenhuma profissão é fácil, mas o importante é fazer o que se ama e eu amo o que faço”, comentou.

Ao final da palestra, Átila tirou fotos com os estudantes e contou um pouco mais da sua história na entrevista a seguir:

Como surgiu o interesse nessa carreira? Teve alguma inspiração?

Na verdade o interesse surgiu por intermédio do mecânico do Jet Sky do meu pai, o Betão. Ele era mecânico de kart também e um dia me convidou para dar umas voltas no kartódromo de Itu, eu adorei a brincadeira e logo entrei na escolinha de pilotagem e nunca mais parei de correr.

Minha inspiração logicamente é o Ayrton Senna, ele foi um cara que, além de ser muito rápido, elevou o nível de profissionalismo no automobilismo e revolucionou a preparação física no esporte, infelizmente eu quase não vi o Senna correr e por isso um dos pilotos que me influenciou na carreira foi o Michael Schumacher, como talento ele não era melhor que o Senna, no entanto, ele tirou a Ferrari de uma fila de 25 anos sem vencer um mundial de pilotos e para isso ele conseguiu que todas as pessoas da equipe trabalhassem em prol do objetivo dele, então como um gestor de pessoas Schumacher foi excepcional.

Antes de ser piloto já teve interesse em outra profissão?

Não tive, comecei a correr de kart com 7 anos, por isso meu foco acabou sendo o automobilismo, em um determinado momento da minha vida onde parecia que eu não conseguiria seguir a carreira de piloto, pensei em ser engenheiro mecânico, acabei me formando em administração, pois acredito que hoje trabalho como uma empresa e, por isso, o curso de administração me ajuda a gerenciar minha carreira.
Em sua trajetória, qual a maior dificuldade encontrada?

Sem dúvida alguma, minha maior dificuldade foi a altura. Eu tinha previsão médica de que chegaria aos 2,03m de altura e isso acabaria com minha carreira no automobilismo. Fiz um tratamento para parar o crescimento, mas mesmo assim acabei ficando com 1,90m. A altura me impediu de seguir a carreira nos monopostos (carros de fórmula), fui vice-campeão da F-BMW competindo com Sebastian Vettel (tetra campeão de F1) e quando subi para a F-3, um dos últimos degraus antes da F1,senti que não daria mais para continuar. Eu não cabia mais dentro do carro, tivemos que retirar o banco e a própria Federação Internacional de Automobilismo não permitia que minha equipe fizesse outras modificações no carro em prol da minha segurança. Foi nessa hora que pensei que não poderia mais ser piloto, voltei para o Brasil e vi nos carros de turismo (carros fechados) uma solução para meu problema com a altura uma vez que esses carros são maiores, e foi assim consegui realizar o sonho de ser um piloto profissional.

O que você gostaria de transmitir aos estudantes com sua fala/experiência vivida?

Uma mensagem que eu deixo é para que nunca desistam dos seus objetivos. Como atleta posso afirmar que nós mais perdemos do que ganhamos, largamos em 30 carros e apenas um vai ganhar, mas o mais importante é que não desistimos do objetivo e quando a vitória chega ela tem um sabor muito especial. É na derrota que você analisa onde errou e parte muito mais preparado para outras tentativas de alcançar os objetivos.

Comunicação e Marketing – UNISAL