Mathilde Salem
05/08/2013
Otávio Ortiz
05/08/2013

Orestes Marengo

Conclusão do inquérito diocesano foi 16 de fevereiro, 2013

Dom Orestes Marengo (1906-1998)
Primeiros anos

Orestes Marengo nasceu em Diano di Alba, pequena cidade do Piemonte, província de Cúneo, no dia 29 de agosto de 1906. Por três anos freqüentou a escola elementar das Filhas de Maria Auxiliadora, onde intensificou aquele amor a Dom Bosco que havia aprendido dos pais, Lourenço e Agostinha Montaldo. Por desejo deles, Orestes continuou os estudos em Turim, Valdocco, onde teve a oportunidade de conhecer vários salesianos da primeira geração, entre os quais o P. Álbera, o P. Francésia e o P. Rinaldi.

Encontro providencial com o Pe. Ferrando

No segundo ano de ginásio, a Providência lhe enviou em classe, como suplente do professor, o P. Estêvão Ferrando, que poucos meses depois iria partir para as missões da Índia. Também Orestes queria ser missionário. Assim, fez tal pedido ao então ‘Prefeito Geral’ da Congregação, P. Pedro Ricaldone, que o enviou a fazer o noviciado exatamente em Shillong, Índia. Sob a guia do P. Ferrando, antes como mestre de noviços e depois como diretor do estudantado filosófico, o P. Orestes entregou-se a girar pelos povoados indianos, aprendendo as línguas locais e animando os oratórios festivos. Durante os estudos teológicos teve a ventura de colaborar com o pároco da comunidade de Shillong, P. Constantino Vendrame, do qual absorveu o estilo pastoral salesiano, um estilo que faz do «Da mihi animas» de Dom Bosco a principal motivação do ser missionário. No dia 2 de abril de 1932, na igreja do Santo Redentor, de Shillong, Orestes foi ordenado sacerdote. Desse momento em diante, entrega-se ele de corpo e alma a visitar as vilas do Nordeste indiano: visita-as em todas as suas dimensões. Leva a mensagem do Evangelho a milhares de famílias ajudando-as com tudo o que tem. Conquistou logo a simpatia do povo também porque se havia dedicado a aprender as 20 línguas da região. Pessoa de oração, afável e acolhedor, sabia, com simpatia e benevolência, infundir confiança em todos os corações.

Nomeado bispo de Dibrugarh

Em 1951 foi nomeado bispo da nascente diocese de Dibrugarh. Aceitou por obediência e foi ordenado Bispo no dia 27 de dezembro de 1951, na Basílica de Maria Auxiliadora, em Turim. Continuou a visitar as vilas, pregando e confessando todos os fiéis. Em 1964 recebeu a nomeação para primeiro bispo da diocese de Tezpur e cinco anos depois lhe foi confiado o cuidado da futura diocese de Tura. Apresentou as demissões antes do tempo, para deixar espaço a um bispo local, que finalmente foi aceito pelo Governo indiano. Transcorreu no apostolado os últimos anos da sua vida. Continuou por algum tempo a ajudar o novo bispo de Tura, buscando fundos para sustentar a diocese, e disponível nas várias missões até à morte, a qual sobreveio em Tura, no dia 30 de julho de 1998.

Caraterísticas

A obediência aos superiores, o anseio pela salvação das almas e o típico otimismo salesiano foram as características mais evidentes e mais amadas pelo quarto Servo de Deus missionário no Nordeste da Índia.

sdb.org