Jan Swierc e companheiros
05/08/2013
Mathilde Salem
05/08/2013

José Vandor

Inicio do processo: 08-10-2003

José Vandor nasceu em Dorog, Hungria, em 29 de outubro de 1909, de Sebastian Wech e de Maria Puchner. Ao chegar como missionário em Cuba, trocou o sobrenome Wech para o apelido Vandor e desde aquele momento seria chamado por todos Pe. Vandor.

Desde pequeno se distinguiu por sua bondade e seu caráter conciliador. Iniciou sua formação com os fransciscanos, com os quais aprendeu um verdadeiro amor a pobreza, que conservou durante toda sua vida.

Conheceu os salesianos e ficou impressionado pela espiritulidade e a caridade pastoral de Dom Bosco, tanto que em 1927 entrou no noviciado. Fez os votos perpétuos em 13 de agosto de 1932. Continuou sua formação teológica na Itália, em Turim, onde seria ordenado sacerdote em 5 de julho de 1936, na basílica de Maria Auxiliadora. Foi então enviado a Cuba, a Guanabacoa, onde permaneceu até 1940 como conselheiro escolástico e responsável pela animação pastoral.

Os jovens, especialmente os mais pobres, os quais tinha uma atenção salesiana particular, lhe queriam muito. Aos 31 anos lhe nomearam diretor da Escola Agrícola de Moca, na República Dominicana. Sobressaía-se por sua sabedora e prudência. Por isso o elegeram Mestre do Noviciado. Em 1940, o Pe. Vandor chegou ao Colégio de Artes e Ofícios de Camaguey, como administrador.

Em 9 de dezembro de 1954 chega a Santa Clara, responsável da igreja de Carmen e encarregado da construção da Escola de Artes e Ofícios. Foi ali onde demonstrou seu espírito de pobreza e dinamismo salesiano, graças aos quais alcançou dirigir, sem ter uma casa estável, os trabalhos de reforma da casa paroquial da igreja de Carmen e a construção da casa salesiana.

O Pe. Vandor era um solicitadíssimo diretor espiritual. Sua doçura abria os corações de jovens e adultos. Ao inaugurar a escola, o Pe. Vandor foi nomeado seu diretor até o ano de 1961. Em 1965 seria nomeado o primeiro reitor e depois pároco da igreja de Carmen.

No período da guerra civil em Cuba, o Pe. Vandor fez de tudo para consolar aos enfermos, feridos e aos pobres, arriscando-se pessoalmente. Se ofereceu como mediador de paz entre as tropas de “Che” Guevara e as do Coronel Cornélio Rojas, do exército do General Batista. Dele diziam: “É um dos corações mais amáveis, delicados e nobres do clero de Villa Clara.

O Pe. Vander pode comparar-se com São Francisco de Sales por sua paciente docilidade, sua discreta dedicação, sua iluminada sabedoria na direção espiritual das almas; e com São João Bosco, por seu dinamismo apostólico, seu amor aos jovens necessitados, por seu espírito de fé, sua serena alegria e pela cordialidade em seus modos”. Morreu em 8 de outubro de 1979.

sdb.org