Festa da Primavera na Obra Social São João Bosco
09/30/2015
Centro Social Santa Luzia celebra o Mês da Bíblia
10/01/2015

Ex-alunos: reencontrar-se para continuar o sonho de Dom Bosco

Ter passado por uma obra pastoral, escola, oratórios instituições de ensino superior ou residência salesiana e se identificar com os valores e a missão instituídos por Dom Bosco. Quem tiver essas características está apto a ingressar na União dos Ex-Alunos de Dom Bosco.

Segundo o artigo 5º da Carta Magna dos Salesianos, os Ex-Alunos são membros da Família Salesiana devido à educação que receberam. Sua origem é o primeiro Oratório de Valdocco, em Turim, de onde um pequeno grupo de ex-alunos liderados por Carlos Gastini se apresentou a Dom Bosco em junho de 1870 para manifestar-lhe sua gratidão.

“Quando Dom Bosco fundou a Congregação Salesiana, primeiramente ele quis contar com leigos, os Cooperadores Salesianos foi o primeiro (grupo) que ele logo já criou e logo em seguida ele quis contar com os ex-alunos, então foram as duas primeiras instituições para ajudá-lo na divulgação da Congregação Salesiana”, conta o Pe. Aramis Biaggi, Delegado para os Ex-Alunos da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, de São Paulo. “Fundou com alguns jovens que ele confiava muito no trabalho de atender a essa garotada necessitada da rua, dar um emprego mais seguro, mais digno para essa juventude porque ele confiava muito nos jovens, sendo que os jovens têm que estar na vanguarda do trabalho, do estudo, da vida”, complementa.

Da Itália, a União dos Ex-Alunos espalhou-se pelo mundo, tornando-se uma federação internacional em 1908 por incentivo do então Prefeito Geral da Congregação, Pe. Felipe Rinaldi e, posteriormente, transformando-se em uma confederação mundial, no ano de 1954.

E para manter os laços de família, nada melhor do que a cultura do encontro. Nesse espírito é que nos dias 26 e 27 de setembro aconteceram nas cidades paulistas de Lorena e São Paulo dois grandes encontros reunindo ex-alunos.
Em Lorena, na região do Vale do Paraíba, a comunidade educativa, que envolve o Colégio São Joaquim e o UNISAL (Centro Universitário Salesiano de São Paulo), realizou o 29º Encontro Anual dos Ex-Alunos de Dom Bosco. O encontro começou na noite do sábado, 26, com uma confraternização na padaria, pizzaria e choperia Boulevard São Paulo. No domingo, 27, a continuidade deu-se no Colégio São Joaquim com café, exposição de fotos no pórtico e, em seguida com missa e homenagens no Santuário São Benedito, finalizando com um almoço em clima de fraternidade.

Nelma Mattioli é presidente da União dos Ex-Alunos em Lorena e orientadora educacional do Colégio São Joaquim, onde estudou entre os anos de 1979 a 1983. Para ela, ser ex-aluna e participar do encontro tem uma importância muito grande em sua vida. “Os Ex-Alunos promovem um resgate histórico, de gerações. Os salesianos fazem a diferença na vida das pessoas, isso é o que fica”, afirma.

Também no dia 26, em São Paulo, o colégio Liceu Coração de Jesus, primeira casa da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora e que acaba de completar 130 anos, abriu suas portas para receber o Encontro de Ex-Alunos de Todos os Tempos. Foram centenas de participantes em uma reunião de gerações que envolveram pais, filhos e até netos que cresceram junto com a educação salesiana. A programação contemplou missa, visita à exposição 200 anos do nascimento de Dom Bosco no Museu da Obra Salesiana no Brasil, exposição fotográfica e uma interação entre os presentes, com uma tarde de esportes e lazer.

Luciana Giannichi, Giancarlo Giannichi, Giovanni Giannichi e Alexandre Forte

Luciana Giannichi, Giancarlo Giannichi, Giovanni Giannichi e Alexandre Forte

Luciana Giannichi, 43 anos, estudou no Liceu entre os anos de 1982 e 1990. Ela fala com orgulho dos filhos que também frequentaram a escola. “Tenho dois filhos que também estudaram no Liceu Coração de Jesus, porque não poderia colocar meus filhos em outra escola, pois queria que eles tivessem a mesma educação que eu tive… Hoje são dois homens formados, um é analista desenvolvedor de sistemas e o outro nutricionista”.

Luciano Montanari Boni, 61 anos, também participou do encontro e conta a trajetória de sua família pelas escolas salesianas. “Eu estudei no Liceu de 1961 até 1972. Meu pai foi aluno interno em 1942, 1943 e 1944. Minha mãe estudou no Santa Inês do primeiro ano até o clássico (antiga modalidade do atual ensino médio). Tenho três irmãos e todos estudaram no Liceu do primário ao colegial. Tenho dois filhos que estudaram no Santa Teresinha, minha filha até o terceiro ano do ensino médio e meu filho até a oitava série”, conta. “Existem colégios que informam, outros formam. Os salesianos formam o caráter de seus alunos”, complementa.

Pe. Aramis afirma também que o ex-aluno tem que levar o sonho de Dom Bosco para as suas atitudes, para o seu dia a dia, e falou sobre os encontros. “E o ex-aluno é aquele profissional de modo especial que a gente acabou vendo no sábado, aqueles profissionais que estão bem no mercado, têm uma paixão grande por Dom Bosco, fazem um trabalho bonito. Eles queriam mostrar um pouco esse trabalho e rever também a turma, reviram vários colegas de vinte, trinta anos atrás e também, de certa forma, um acaba ajudando o outro contando a sua profissão, um podendo ajudar o outro dentro da sua especificidade, trocando cartões até para uma ajuda. A importância do ex-aluno é essa, é continuar o sonho de Dom Bosco, ser um profissional bom para a sociedade, ser uma ajuda entre si para a sociedade ser melhor”. E concluiu: “Outros encontros de outros núcleos de ex-alunos tanto da Inspetoria, como do nosso Brasil todo e o encontro mundial de ex-alunos acontecem para fortalecer. Dom Bosco faz o bem com o ex-aluno e com o cooperador para a Congregação ser melhor”.

Para fazer parte da União de Ex-Alunos de Dom Bosco, informe-se na casa salesiana que você frequentou.

Texto: Anderson Bueno / Fotos: Claudinéa Guatura e Cláudio Cuca