Pedalando com Dom Bosco movimenta a cidade de Piracicaba
12/06/2018
“Viemos adorá-lo”: Pe. Ronaldo Pereira é ordenado em São Paulo
12/10/2018

Congregação ganha um novo sacerdote: Pe. Alcy Maurício

Pe. Alcy com os amigos Diego Wolfs e Paula Bonilha após a missa de ordenação

No dia 8 de dezembro, na Paróquia Nossa Senhora das Dores de Sarapuí, no interior de São Paulo, a Igreja e os Salesianos de Dom Bosco ganharam um novo sacerdote, o Pe. Alcy Mauricio da Silva Junior.

A cerimônia foi presidida por Dom Manoel Ferreira dos Santos, MSC, bispo de Registro-SP e concelebrada pelo inspetor salesiano, Pe. Justo Ernesto Piccinini e dezenas salesianos que prestigiaram esse momento tão importante na vida de um consagrado. Também estiveram presentes familiares, amigos, membros da Família Salesiana e da comunidade local.

Pe. Alcy escolheu como lema de ordenação a frase “Daí-me sempre cumprir a Vossa vontade e jamais separar-me de Vós”, extraída do Missal Romano. “Fiz-me salesiano para servir a Deus e ao próximo, especialmente os jovens mais pobres, anunciando o Evangelho, partilhando o maior dom que Deus nos concedeu que é a própria vida. Pois quando partilhamos a vida e nos permitimos olhar os jovens com os olhos do Pai, encontramos, em cada um, a força para continuar o anúncio da Boa Nova”, afirmou.

“Em minha infância sempre tive um carinho especial pelas coisas de Deus, porém como toda criança “rebelde” não gostava muito de participar da Celebração Eucarística. Então negociava com minha mãe a cada celebração que eu fosse e me comportasse como recompensa ganharia ou um sonho ou pão com ovo, meus alimentos favoritos.

orém acompanhando minha mãe na limpeza da igreja e em sua missão servindo como ministra extraordinária da Sagrada Eucaristia, descobri um grande tesouro, pois toda vez que ela recebia a Sagrada Eucaristia o seu rosto se transformava e se enchia de alegria, apesar de toda tribulação assim ela permanecia, com vontade de vencer. Então lhes perguntei:

– Mãe como eu faço para receber este Pão da alegria?

Foi então que comecei a dar valor e encontrar significado em tudo o que eu fazia. Desde os cinco anos eu era coroinha e junto com meu amigo Rafael brincávamos de celebrar missa no quartinho da casa dele.
Os centavos que sobravam do lanche da escola eram reservados para comprar o Ki-suco de uva e as bolachas, muitos toalhas de mesa se transformara em casulas.

A adolescência foi chegando e a vontade de ser padre foi passando, apaixonei-me por uma menina e no dia do encontro, o pároco me fez uma proposta para conhecer a Congregação Salesiana. Até tentei explicar para ele que no momento meus planos eram outros, porém ele insistiu e eu acabei aceitando. Meu coração ainda não tinha se decidido, voltei para casa triste por não ter encontrado com a menina, porém reflexivo com o novo convite.
Após um tempo iniciei o convívio vocacional em Piracicaba –SP e gostei desses encontros. No último encontro o Padre Morgado nos explicou que em breve receberíamos uma carta explicando os documentos e materiais que deveríamos providenciar.

Duas semanas depois do retiro as cartas de dois conterrâneos chegaram porém a minha não. Fiquei desesperado minha mãe me disse: Por que esta assim? Calma! Você me disse que não queria ir!

Eu respondi: Mãe eu quero! Mas por que Deus não me chamou?

Ela disse: Calma. Reza e depois procura direito na caixa do correio. Entrei no meu quarto chorando e perguntando a Deus o porquê?

Após alguns instantes minha mãe me falou para eu olhar novamente na caixa do correio. A carta estava lá. Aí foi só alegria.”

Que Deus seja louvado por mais uma vocação religiosa!